Por que as pessoas clicam?

 

Podemos dizer que tudo na internet envolve, em termos simples, uma questão de links e cliques, associados à algum conteúdo. Alguns links podem ajudar aumentar o seu tráfego. O momento em que uma pessoa decidi entrar no seu link ou não, leva apenas uma fração de segundos. E, em essência, está ligado a três fatores básicos: design, aceitação e desejo.

O primeiro refere-se ao quão atrativo é o seu link, em termos de imagem e name. Atrativo não quer dizer necessariamente uma imagem bonita, pois as vezes uma esquisita ou feia pode também ter a sua irresistibilidade. Uma imagem entra no ego da pessoas gerando afinco, interesse e vaidade. Clicamos porque nos interessamos, e acreditamos que de fato aquele link em si vai satisfazer alguma necessidade nossa. Essa necessidade pode ser educativa, um produto que almejamos comprar, um desconto que achamos que vamos ganhar, uma curiosidade, um prazer, algo engraçado que queremos ver, uma fofoca que queremos participar etc.

O endereço também faz parte do design, na medida em que ele faz parte do que é visual, e que é percebido. Quanto mais amigável o seu link, curto e estrategicamente posicionado com o seu objetivo, as possibilidades de visualizações aumentam consideravelmente. Nesse aspecto a sua Bralu, te ajuda com a estratégia de construir um design de link e a mensurar os resultados dos cliques. A nossa plataforma vai te ajudar com iscas para atrair o seu público. Em suma, reduzimos o seu link aplicando marketing e dando voz para que em si mesmo, ele se conecte com o sentido almejado por você e fixe o conceito à primeira vista. Por exemplo, na nossa plataforma temos domínio seudia.de, poderia transformar uma promoção do chocolate sonho de valsa, em seudia.de/sonhar, perceba que o link se conecta com promoção, estrategicamente posicionado a marca, isso aliado a uma boa imagem vai gerar muito mais engajamento, cliques e ainda despertar maior curiosidade sobre o produto.

Aceitação é um processo pelo qual favorece o seu produto em termos de gerar confiança. Aqui poderia inferir o pensamento de manada, transportado pra realidade das publicações e “marketizado”. Ou seja, é a tendência das pessoas de se interessar por coisas que outras pessoas estão se interessando, em situações que indivíduos e pessoas regem da mesma forma. Paradoxalmente nos interessamos por muitas coisas quando percebemos que muitas outras estão querendo, ou seja, já sofreu processo de validação. Em resumo, quando vemos um vídeo que normalmente não assistiríamos, mas percebemos que muitas pessoas curtiram, viram ou comentaram, sentimos a necessidade de visualizar. Se vemos que um link no Facebook tem mais de 1000 curtidas, é provável que também clicamos. Por isso, muitas empresas investem em suas publicações, porque poucas pessoas vão clicar em conteúdos que não sofreram processo de validação ou não tiveram autoridade. O que ocorre diferentemente no WhatsApp, em que o processo de validação é realizado por quem enviou o link. Curiosamente, o próprio Instagram mudou como as pessoas viam as curtidas nos celulares, pra tentar priorizar o conteúdo e não o pensamento de manada, e claro, forçar as pessoas investir na sua plataforma de publicidade pra conseguirem grandes resultados.

 O terceiro – o desejo – ainda que, estritamente conectado ao design, ele é o pilar que faz as pessoas clicarem sem pensar ou mesmo pensando, envolto num bom copywriting ou numa imagem que provoca os nossos sentidos. O desejo, “marketizado”, é um elo entre um produto e o internauta (consumidor), na qual este vive na internet procurando coisas que vão saciar as suas vontades.   Esse processo acaba se tornando um ciclo sem fim, na medida que os desejos nunca serão plenamente satisfeitos. Nesse aspecto ele caminha como um andarilho pelo mundo (internet), buscando caminhos e respostas para as necessidades que ainda não compreendeu. Fazendo escolhas que parecem ser mais assertivas, mas do ponto vista de quem insere a cerne das vaidades, o empreendedor.

Muitas empresas ou criadores de conteúdo, são especialistas em materializar o desejo, e o ato de clicar no link acaba sendo a revelação de tal desejo. Algumas estratégias acabam colocando uma imagem com o símbolo de um “play”, porque inconsciente colocamos pra tocar, e acabamos percebendo que é um link, então somos redirecionados para uma página de um terceiro. Quando se entende de finalidade e dos anseios humanos, é mais fácil conectar o seu produto ou objeto nos despertares de Afrodite.

Logo os cliques nos links ocorrem por meio de ações do usuário diante de uma porta, que observa e decide se entra ou se muda a direção pra outra porta. O seu papel é buscar estratégias que façam este observador tomar uma ação mediante a sua realidade. Essa ação poderá ser por meio estratégias que estejam conectadas com o design, aceitação e o desejo. Nesse aspecto a Bralu te ajuda a transformar o seu link em propaganda, ajudando no processo de tomada de ação de um usuário e permitindo contar quantas pessoas estão passando pela sua porta. Tornando você ciente dos visitantes, que estão entrando na sua casa e permitindo que você desenvolva melhores processos de hospitalidade.

Carlos Cezare


Publicado em: 06/10/2020 11:17